Monday, 3 November 2008

Eu Sou... Tudo!

Sou uma nota musical

Um sopro de assobio

Aquela nota perfeita,

A nota do som celestial

A nota compulsivamente desejada

Almejada por todos os músicos

Aquela nota pouco alcançada

Mas vivida por muito poucos


Sou um animal selvagem

Um cavalo bravo

Maron garrido, decidido, forte

Silenciosamente desejoso por ser amansado

Aquela égua linda e brava

Partilhada por muito poucos


Sou uma dimensão

Um plano no espaço tridimensional

Aquele plano virtualmente alcançado

Nunca realmente atingido

Sou aquela estrela brilhantemente viva,

Vista por poucos

Visitada por ninguém

Conhecida só pela tecnologia

Sou um ser único

Uma mulher bela, exótica, inteligente e independente

Carinhosa, quente, teimosa e egoísta

Sou a sensibilidade em carne e osso

Do amor fui feita, a ele me entrego

Por muitos sou dividida

A ninguém pertenço


Sou amada e magoada

Admirada e invejada

Acarinhada e ferida

Abraçada e rejeitada


Quero amar, viver e sentir

Quero-me desprender das coisas

Quero-me ligar mais às pessoas

Quero-me entregar a quem pertenço

Quero-me isolar daqueles que não me têm

Enfim,

Sou um mundo de personagens

Sou o pecado e a santidade

Na minha essência,

Sou eu mesma: feita de mim, para mim.

A mim não me pertenço e nem a ti

À mãe natureza, pertenço

Eu sou tudo, e sou nada.


Uns dizem-me Tsunami

Outros Anjo

Alguns dizem-me Anjo Tsunami

Eu sou "O Detalhe" num mundo de talhes

Eu digo-me, uma pitada de sal no doce mar

Um cubo de gelo no quente ar

Eu sou tudo... Feito de nadas.


[21.09.2008]

1 comment:

.Francis said...

É...
podemos ser tudo e
ás vezes não somos nada.
Depende do espelho que temos à nossa frente ou das projecções.