Monday, 24 November 2008

E Assim, Choveu...

E ontem hoje choveu

Um chuva não miúda

Uma chuva de pingos grossos

Que fortemente bateram em minha face

E me molharam devagar

Desse jeito lavaram a minha alma

E regaram meu coração

Crescendo os meus sentimentos

Naquela noite choveu

Choveu lentamente

Choveu e molhou aquele chão que pisei

Pisei num longo passeio a luz do luar

De mãos dadas com a natureza

Sobre aquela chuva

E sobre o luar oculto pelas nuvens

Troquei declarações ao vento

Selei o meu sentir

Com um beijo demorado, molhado e quente

Tendo a chuva como bênção

E o mundo como testemunha


[17.11.2008]



1 comment:

NAELA said...

Wowww! Profundo tal o teu coracao!
Beijo