Thursday, 23 October 2008

Amor Forasteiro

Tarde da noite...

Deitada na cama, meia que a dormir

Enrolada com o sono e lutando com o calor

O espírito levitava para o outro lado, para o lado da luz no escuro

Para o lado de tudo o possível, do mundo da realização dos sonhos

Naquele transe, encarando os meus medos e sonhos

Sem sentir a tua chegada silenciosa mas forte

Chegaste... Carinha feliz, radiante, sorriso de ponta à ponta

Espalhando luz pelo quarto escuro

Exibindo felicidade para os leigos

Num suspiro disseste: Ela tá deslumbrante. Tou apaixonado! Jurooo!!!!

Ri-me e disse: Só tu para me fazer rir a esta hora. Somos 2 apaixonados por forasteiros.



Forasteiros...

Sobre esse conceito divaguei e naveguei

No final, lembrei-me

Afinal também sou forasteira...

Sou uma eterna aprendiz de me conhecer

De conhecer as pessoas, o mundo

Sou intima comigo mesma e com o mundo

Sendo ao mesmo tempo uma estranha para mim e para todos

Nesse fio de pensamento

Concluí que nada me impede, que tudo me impele

Naquele pulso do impulso

Abraçei ao conceito com um abraço amigo

Como se do meu umbigo saísse

E gritei para o mundo das possibilidades: Amores forasteiros, sejam bem vindo!

E adormeci, a pensar no meu forasteiro!


[03.10.2008]