Wednesday, 18 June 2008

∂ Porque escrevo sobre sexo? ∂

Estava outro dia no chat com um amigo... Trocando algumas ideias e eu incentivando-o a retornar a escrever, uma vez que ele também escreve. No meio dessa conversa, andávamos os 2 a navegar nalguns blogs e flogs. De repente, depois de ele ter lindo um texto meu (aqueles que accionam os nossos membros sexuais), ele pergunta-me porque escrevo maioritariamente sobre sexo?

Eu, ainda tentei refutar, dizendo que não só escrevia sobre sexo (a referir-me à poesia e outros textos), mas depois de ter dado uma rápida olhadela mental aos meus escritos, constatei que realmente escrevo muito sobre sexo.

Pus-me a analisar e, numa primeira impressão, conclui que escrevo sobre esse tema por senti-lo mais simples e falável. Agora, não o acho tão simples... É simples sim, mas ao mesmo tempo detêm um grau de complexidade humana incapaz de ser compreendido ao olho de um simples mortal. Por exemplo: quando falamos da frigidez. A frigidez, para mim, é um cúmulo de insensibilidade. Há que pregue que seja uma doença. Mas insensibilidade sexual é ignorância, negligência no conhecimento de si própria, é não se conhecer. É inaceitável. Mas não disso que quero falar.

A sua simplicidade, a do sexo, reside no facto de ser algo que a maioria da população executa, gosta de executar, têm prazer no acto e no imaginar, e, desenvolvem, criam, buscam inúmeras maneiras de o fazer e incentivar o seu prazer.

Não seria uma pessoas normal se, detendo o pequeno dom que tenho, o da palavra escrita [olha onde a minha modéstia foi parar, eheheheh], não escrevesse sobre este tema. Afinal de contas, é um tema que AMO, ADORO praticar, e por acaso até não escrevo mal [modéstia precisa-se urgentemente, ahahahaha].

Não existe nada mais prazeiroso, mais libertador, mais relaxante, que transar. É o exercício físico mais completo que existe, mexe com todos os músculos, liberta calorias, activa as hormonas, lubrifica os poros da epiderme, lubrifica os fluidos genitais e os canais sexuais e anais. Dados provados e aprovados cientificamente. Claro que para ter a certeza deles, tive que prática, hihihi...

É muito mais simples falares do que amas, do que sentes... Do que tens conhecimento prático, do que dominas.

Ainda não respondi a pergunta que me coloquei, né? Bom é simples e não é. Mas só vejo uma única resposta para essa pergunta, depois de tantas palavras e tentativas de resposta.

Porque escrevo sobre sexo?? Ora, a resposta é óbvia: Escrevo porque sou uma pessoa pura, completa e inteiramente SEXUAL.

[17.06.2008]

3 comments:

Jácome D`Alva said...

Depois de lêr esta tua explicação tão clara e justificativa sobre as razões porque escreves sobre sexo, garanto que nunca mais leio blogs que versem politica sem que o autor me apresente uma justificação identica. E se antes abria esta tua janela todos os dias agora vou passar a abrir duas vezes ao dia. Portanto vê lá se escreves mais.

Um beijo

Anja Rakas said...

Baby, precisa eu "falar"?
Já bem sei como és, o que és e o que te faz ser essa Mulher toda.
Quanto a mim...acho que essa pergunta talvez não se aplique concretamente...o que me faz escrever sobre...hahahha tudo??!!! Va-se la saber..
Beijao doido

Miguel e Juliana said...

Pela tua trânsparencia e sensibilidade, é um privilégio cultivar esta amizade.

Beijos

(PS)continua erótica e especial