Tuesday, 20 May 2008

∂ Tua Ausência ∂


Ausente de mim estiveste.

Sem ti estive.

Distante em pensamento.

E faltoso nos prazeres carnais.

Noutros horizontes andaste, noutros corpos viveste.


Pra mim sei que voltas...

Pra em meu leito te deliciares.


Sinto-te de volta pra mim...

Sinto teu cheiro...

Sinto teu toque em meu suado corpo.


Meu corpo vibra com tua voz muda,

Com teus passos lentos e tua presença insinuante.

Meu corpo sedento de ti,

Se agita a cada lembrança de ti em mim.


Em ti e pra ti fui feita.

Sem ti, sou apenas um corpo que deambula nesta cidade.


Vem...

Vem que te aguardo.

Vem, sem pressa...

Vem, que o prazer que espera.


[20.05.2008]


3 comments:

Quebra Ossos said...

Ai Saudade, saudade que desespero
nos lencois me deito solitária
leio um livro enquanto espero
acordo... acordo solitária...

NAELA said...

Poema profundo! Vem que te espero ausente de mim;)
Beijo linda

Diva said...

Ausência

Eu deixarei que morra em mim o desejo de amar os teus olhos que são doces
Porque nada te poderei dar senão a mágoa de me veres eternamente exausto.
No entanto a tua presença é qualquer coisa como a luz e a vida
E eu sinto que em meu gesto existe o teu gesto e em minha voz a tua voz.
Não te quero ter porque em meu ser tudo estaria terminado.
Quero só que surjas em mim como a fé nos desesperados
Para que eu possa levar uma gota de orvalho nesta terra amaldiçoada
Que ficou sobre a minha carne como nódoa do passado.
Eu deixarei... tu irás e encostarás a tua face em outra face.
Teus dedos enlaçarão outros dedos e tu desabrocharás para a madrugada.
Mas tu não saberás que quem te colheu fui eu, porque eu fui o grande íntimo da noite.
Porque eu encostei minha face na face da noite e ouvi a tua fala amorosa.
Porque meus dedos enlaçaram os dedos da névoa suspensos no espaço.
E eu trouxe até mim a misteriosa essência do teu abandono desordenado.
Eu ficarei só como os veleiros nos pontos silenciosos.
Mas eu te possuirei como ninguém porque poderei partir.
E todas as lamentações do mar, do vento, do céu, das aves, das estrelas.
Serão a tua voz presente, a tua voz ausente, a tua voz serenizada.
Vinícius de Moraes

Bjs meus

P.S. Achei lindo o que escreveste, lembrei-me entao que tinha este poema do vinnicius em algumcanto. Espero que gostes...